Longevidade: envelhecer com saúde física e financeira é um desafio

0
2112

O aumento da longevidade e qualidade de vida de idosos no Brasil é um fenômeno que vem sendo observado nas últimas décadas. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a expectativa de vida no país aumentou de 45 anos em 1940 para 76 anos em 2021. Isso significa que as pessoas estão vivendo mais e que precisam cultivar a qualidade de vida para aproveitar essa fase da vida com saúde e bem-estar.

De acordo com o Ministério da Saúde, o envelhecimento populacional é uma realidade em todo o mundo, e a tendência é que a população idosa no Brasil continue crescendo nos próximos anos. Estima-se que, em 2060, haverá mais idosos do que jovens com menos de 14 anos no país. Por isso, é importante investir em políticas públicas que promovam o envelhecimento saudável e ativo, além de conscientizar a população sobre a importância de cuidar da saúde ao longo da vida.

Neste contexto, é cada vez mais importante pensar na segurança financeira dos idosos. A previdência complementar surge como uma alternativa para garantir uma renda adicional na aposentadoria, além do benefício pago pelo INSS. Isso é especialmente importante em um cenário de incertezas econômicas e políticas, que podem afetar a capacidade do governo em manter o valor dos benefícios previdenciários. Ao contribuir para um a previdência complementar como a CASANPREV, os trabalhadores podem ter mais tranquilidade e segurança financeira na aposentadoria, garantindo uma fonte de renda estável e previsível ao longo da vida. Um dos grandes diferenciais da CASANPREV é que os benefícios são vitalícios.

Um dos principais desafios enfrentados pelos idosos é a manutenção da qualidade de vida. Com o avanço da idade, é comum que surjam limitações que podem afetar a autonomia e a independência. Por isso, é fundamental adotar hábitos saudáveis desde cedo, como praticar atividades físicas regularmente, seguir uma dieta equilibrada, evitar o tabagismo e o consumo excessivo de álcool, além de manter um acompanhamento médico e odontológico regular.

Além disso, a socialização e o convívio familiar são importantes para a saúde mental e emocional. Estudos mostram que a solidão e o isolamento social podem aumentar o risco de depressão e outras doenças mentais em idosos. Por isso, é importante estimular a convivência com familiares e amigos, participar de atividades em grupo e buscar novas formas de interação social.

O acesso aos serviços de saúde também é essencial para garantir a qualidade de vida dos idosos. Segundo dados do Ministério da Saúde, cerca de 70% dos idosos possuem pelo menos uma doença crônica, como diabetes, hipertensão ou doenças cardiovasculares. Por isso, é importante a atenção permanente na prevenção e tratamento dessas doenças.

Em resumo, o aumento da longevidade e qualidade de vida de idosos no Brasil é um fenômeno que deve ser celebrado, mas também exige cuidados e atenção. Uma boa previdência complementar junto com o estímulo a hábitos saudáveis desde cedo junto com bom convívio social são algumas das medidas que podem contribuir para garantir um envelhecimento saudável, ativo e confortável.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui