Empréstimos têm prazo e valor máximo ampliados e juros reduzidos

Felizmente, o país da inflação galopante e das mais altas taxas de juros do mundo está ficando cada vez mais pra atrás. Preocupado com a crise internacional e a possibilidade de recessão o governo brasileiro tem adotado uma política de facilitação do acesso ao crédito, como forma de impulsionar a economia. É uma boa iniciativa do ponto de vista do consumidor. Mas é preciso cautela e, fazer o dever de casa, comparando as taxas com os critérios e condições oferecidas, que muitas das vezes a propaganda esconde deliberadamente.

“Pensando no nosso futuro beneficiário e mirando na solvabilidade da nossa carteira de empréstimos resolvemos ampliar o valor máximo e o prazo de pagamento e reduzir ainda mais a taxa de juros”, afirma o Diretor Administrativo-Financeiro, Adir Oliveira.  Ele explica que a carteira de empréstimos não é um benefício e sim um investimento e que por isso é importante estabelecer regras que facilitem o acesso ao crédito, mas de forma responsável.  “Prestações alongadas e taxas de juros mais em conta todo mundo quer, mas é bom não esquecer que existe um compromisso e que ele deve ser saldado no prazo contratado”, alerta.

Novas regras
Pelas regras anteriores o valor máximo do empréstimo era R$ 26.038,33 (R$ 25 mil líquidos em conta corrente), em 42 vezes, com prestação de R$ 760,78. A partir de agora, o valor máximo é R$ 39.578.26 (R$ 38 mil líquidos em conta corrente), em 72 parcelas e com prestação de R$ 737,22. As novas regras foram elaboradas pela Diretoria e aprovadas na reunião do Conselho Deliberativo realizada no último dia 5 de outubro.

Veja abaixo uma tabela comparativa com uma simulação de empréstimo de R$ 10 mil. A comparação é com as condições oferecidas atualmente pelos dois principais bancos públicos – BB e CEF – e considera um INPC com variação de 5,5%.

A CEF concede empréstimo com juros de 1,37% a.m. para os clientes CEF, que possuem cartão de crédito da CEF e receber o salário pela CEF. No empréstimo consignado da CEF (desconto em folha de pagamento) o juro é de 1,67% a.m. A CEF cobra juros de 4,27% a.m para seu cheque especial (nobre), o que dá ao final de um ano 65,16% a.a. O BB cobra juros de 2,64% a.m. nos seus empréstimos consignados e aplica 4,7% de juros ao mês no seu cheque especial (nobre) o que dá no ano uma taxa de 73,52 a.a.

COMPARATIVO DE TAXAS / PRESTAÇÕES DE EMPRÉSTIMO DE R$ 10 MIL EM 24 PARCELAS
12ª 18ª 24ª TOTAL
CEF 491,74 491,74 491,74 491,74 491,74 11.801,76
CEF 509,15 509,15 509,15 509,15 509,15 12.219,60
BB 567,68 567,68 567,68 567,68 567,68 13.624,32
CASANPREV 462,37 472,80 485,62 498,80 512,33 11.686,69
  CASANPREVxCEF – TX 1 -29,37 -18,93 -6,11 7,06 20,59 -115,06
  CASANPREVxCEF – TX 2 -46,78 -36,34 -23,52 -10,34 3,18 -532,90
  CASANPREV x BB -105,31 -94,87 -82,05 -68,87 -55,34 -1.937,63

 

COMPARATIVO DE TAXAS / PRESTAÇÕES DE EMPRÉSTIMO DE R$ 10 MIL EM 72 PARCELAS
12ª 24ª 36ª 48º 60º 72º TOTAL
CEF  – TX 1 219,35 219,35 219,35 219,35 219,35 219,35 219,35 15.573,85
CEF – TX 2 239,76 239,76 239,76 239,76 239,76 239,76 239,76 17.022,96
BB 311,59 311,59 311,59 311,59 311,59 311,59 311,59 22.122,89
CASANPREV 186,26 195,62 206,38 217,74 229,71 241,27 254,54 15.524,29
  CASANPREVxCEF – TX 1 -33,09 -23,72 -12,96 -1,60 10,36 21,92 35,19 -49,563
  CASANPREVxCEF – TX 2 -53,50 -44,13 -33,37 -22,01 -10,04 1,51 14,78 -1.498,67
  CASANPREV x BB -125,33 -115,96 -105,20 -93,84 -81,87 -70,31 -57,0483 -6.598,60

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *