Conselhos aprovam contas de 2019

Diretores da CASANPEV apresentaram resultados financeiros e atuariais.

O Conselho Fiscal da CASANPREV aprovou no dia seis de março as contas da Fundação referentes ao ano de 2019. Logo em seguida houve uma reunião conjunta com o Conselho Deliberativo onde a Diretoria apresentou todos os resultados de 2019, incluindo os números financeiros e atuariais.

Os Diretores da Casan Ivan Gabriel Coutinho (Financeiro) e Evandro André Martins (Administrativo) participaram da reunião e falaram da importância da CASANPREV no contexto da empresa como um todo.

diretores casan
Diretores da Casan participaram da reunião.

Contas

Na primeira reunião o Conselho Fiscal analisou e aprovou por unanimidade e sem ressalvas as contas de 2019, destacando os bons resultados obtidos nos investimentos que superaram em rentabilidade os principais indicadores da economia brasileira. O presidente do Conselho Fiscal, Cláudio Rodrigues, salientou que a Entidade vem sendo conduzida com muita competência gerencial.

O presidente do Conselho Deliberativo, Sérgio Murilo Romariz, abriu a segunda parte da reunião que congregou os membros dos dois conselhos, além dos convidados. Ele destacou o desempenho positivo da Fundação e o engajamento da Diretoria e dos conselheiros na gestão.  O Conselho Deliberativo ratificou a aprovação das contas de encerramento de 2019.

conselho fiscal
Conselho fiscal aprovou as contas de 2019.

Números

O Diretor de Seguridade, Fernando Barros, fez a primeira apresentação concentrada nos números previdenciários, salientando o fato de que a Fundação, com apenas 11 anos de existência, terminou 2019 com 659 aposentados e 13 pensionistas. Ele revelou que no ano passado a CASANPREV pagou R$ 16,9 milhões em benefícios.

O Diretor Presidente Adir Oliveira apresentou os resultados financeiros de 2019, comemorando a rentabilidade de 14,06%, que superou a meta atuarial que foi de 10,23%. Também foi destacado que a Fundação tem hoje um patrimônio que ultrapassa R$ 313 milhões.

Futuro

A reunião debateu, também, a opção feita pelo Conselho Deliberativo no final de dezembro, que alterou as Tábuas de Mortalidade de referência do plano e reduziu a taxa de juros do plano (meta atuarial). As medidas visam preservar a saúde do plano. VEJA MATÉRIA COMPLETA AQUI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *