6º Encontro dos Aposentados reúne 260 pessoas

1
1221

Aconteceu no dia 12 de maio, no SESC Cacupé, em Florianópolis, o 6º Encontro dos Aposentados da CASANPREV. O primeiro evento presencial após a pandemia reuniu cerca de 260 pessoas em clima de reencontro e confraternização. Além da tradicional apresentação da Diretoria sobre números e resultados da Fundação, houve palestra sobre Avaliação Atuarial e Qualidade de Vida e Longevidade.

Evento reuniu cerca de 260 pessoas.

O evento começou com a apresentação dos números previdenciários da CASANPREV pelo diretor de seguridade Fernando Barros. Ele demonstrou que a Entidade tem cumprido rigorosamente seus compromissos com os 767 aposentados e 31 pensionistas. A entidade tem ainda 1.129 participantes ativos. Segundo o diretor, em 2023 já foram pagos mais de R$ 5 milhões em benefícios.

Fernando Barros ainda apresentou os diversos movimentos feitos há vários anos para adequar as premissas do plano de benefícios à realidade da composição familiar e da expectativa de vida dos participantes. “Quanto mais temos expectativa de vida temos, mais recursos precisamos ter para suprir os benefícios vitalícios”, explicou. Segundo ele, para cada ajuste de tábua de longevidade, mais recursos precisam ser alocados nas reservas para os compromissos futuros.

Diretor Ferrnando Barros apresentou números previdenciários.

O diretor demonstrou ainda que a CASANPREV acumula um déficit atuarial.”Os fatores que podem levar ao déficit são vários, mas atualmente deve-se principalmente à extrema volatilidade do mercado financeiro, além da alta da inflação e outros indicadores macroeconômicos com desempenho abaixo do necessário para fomentar o crescimento da economia como um todo”, explicou. Segundo ele, trata-se de um problema estrutural que tem provocado o equacionamento de déficit técnico da maioria dos Fundos de Pensão públicos e privados.

Atualmente o limite mínimo do déficit a ser equacionado na CASANPREV é de R$ 24,7 milhões, sendo que o total com o ajuste de precificação monta a R$ 54,69 milhões. O equacionamento do déficit pode ser feito pelo valor mínimo, máximo ou outro percentual a ser definido pela partes legalmente envolvidas no processo. É importante destacar que a cobertura do déficit é paritária entre os participantes e a Patrocinadora, o que exige que o plano de equacionamento seja consensual entre as partes, aprovado por suas instâncias deliberativas.

Finanças

Na segunda apresentação, o diretor presidente, Adir Oliveira detalhou os números de rentabilidade e avaliou o cenário do mercado financeiro, ressaltando a dificuldade em obter rentabilidade diante das instabilidades locais e mundiais. “Não há mais a facilidade de jogar dinheiro na renda fixa e só esperar a lucratividade. Hoje temos que ter carteiras ativas e vigilantes, sabendo que nosso foco é sempre o longo prazo, como requer a previdência”, avaliou.

Diretor Presidente Adir Oliveira apresentou números de investimentos.

Adir Oliveira destacou que apesar das dificuldades a CASANPREV tem tido desempenho compatível — e acima da maioria das entidades semelhantes, mantendo o patrimônio em crescimento e tendo os valores a equacionar proporcionalmente bastante abaixo da média do setor.

Novo plano

Foi destacada, ainda, a iminência de lançamento do novo plano de benefícios na modalidade Contribuição Definida – CD que, além de oferecer uma nova alternativa aos participantes e beneficiários, deva atrair para a CASANPREV novos participantes, especialmente os trabalhadores mais jovens da CASAN.

Gestão atuarial

Para falar sobre Gestão Atuarial o atuário e professor Rafael Porto De Almeida, da Lumens Atuarial  e professor do Curso de Pós-Graduação em Demografia e Atuária da UFRN e das disciplinas de “Práticas Atuariais” e “Gestão de Riscos Atuariais” dos programas de Pós-Graduação em Gestão da Previdência Complementar do Cesusc.

Professor e atuário Rafael Porto De Almeida falou sobre gestão atuarial.

Com vários exemplos, o professor explicou ao público como a gestão atuarial tenta dimensionar as incertezas e fazer delas variáveis de cálculos. No caso específico da previdência, demonstrou que a longevidade é uma das principais variáveis, além de fatores econômicos sob os quais não se pode ter controle ou previsões precisas.

Qualidade de vida

O médico geriatra, professor do curso de medicina da universidade estadual de londrina, mestrado em medicina interna com doutorado em cardiogeriatria, Marcos Cabrera, foi o convidado para falar sobre a qualidade de vida e longevidade.

\Marcos Cabrera, médico geriatra e professor palestrou sobre longevidade e qualidade de vida.

O palestrante enfatizou aspectos de comportamento como fundamentais para um envelhecimento com saúde financeira, física e mental. Segundo ele, esses três itens constituem a base de uma vida saudável na terceira idade. Cabrera afirma que os três pilares têm a mesma importância. “Não adianta ter dinheiro e não ter saúde e muito menos ter dinheiro e saúde e viver deprimido e ‘borocoxô’”, garantiu.

O médico receita vida social, encontros com amigos, atividade física e bom humor como “remédios” para um envelhecimento saudável e feliz.

VEJA VÍDEO COM MOMENTOS DO 6º ENCONTRO

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui